Falecido no último dia de 2022, Bento XVI veio ao Brasil em 2007

Na ocasião, participou da  5° Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e Caribenho, em Aparecida do Norte. Ele faleceu às 9h34 (5h30 do horário de Brasília), neste sábado, 31.

Facebook
WhatsApp
img3413875.221202

No último dia de 2022, a Igreja Católica se despede de Bento XVI, o primeiro Papa a renunciar, depois de 600 anos. Nascido em 16 de abril, ele faria 96 anos no próximo ano e há algum tempo enfrentava problemas de saúde. No início da semana, o Papa Francisco pediu orações para seu antecessor.

O Papa Emérito estava sob cuidados das consagradas Memores Domini e de seu secretário pessoal, Dom Gerd Gänswein. Ele faleceu às 5h34, do horário de Brasília e às 9h34 da Itália, neste sábado, (31).

Sucessor do Papa São João Paulo II, ficou à frente do pontificado durante oito anos. Sua renúncia marcou a história da Igreja e foi considerada por muitos como uma atitude corajosa.

A necessidade de ser corajoso surgiu muito cedo na vida de Joseph Alouisius Ratzinger (nome de batismo), já que ele era alemão e viveu no período nazista, tendo até mesmo que interromper os estudos para servir na guerra, aos 16 anos, e só depois continuar a formação de seminarista. Ele foi ordenado em 1951, no dia 29 de junho e três anos depois, já era doutor em teologia.

Em 1977 foi ordenado arcebispo e logo depois, tornou-se cardeal da Igreja, participando do conclave que elegeu o Papa João Paulo I. Ocupou cargos e funções importantes, até se tornar o sucessor de João Paulo II.

Antes da renúncia, em 2013, Bento XVI visitou o Brasil, em 2007. Na ocasião, ele participou da  5° Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e Caribenho, em Aparecida do Norte.

O Papa Bento XVI morreu, mas vive eternamente no coração dos católicos e de todos que viram nele a coragem de reconhecer a fragilidade humana e o desapego das posições importantes. Uma das suas últimas mensagens, foi através de uma carta aberta, publicada no início de 2022. “Em breve estarei diante do juiz final de minha vida. Embora ao olhar para trás em minha longa vida eu possa ter muitos motivos de medo e pavor, estou, no entanto, com um espírito alegre, porque confio firmemente que o Senhor não é apenas o juiz justo, mas ao mesmo tempo o amigo e irmão que já sofreu ele mesmo as minhas insuficiências e, portanto, como juiz, é ao mesmo tempo o meu advogado.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 5 =

plugins premium WordPress