[views count="1" print="0"]

Com assembleia em Bom Jesus da Lapa, missionários se despedem da Vice-Província Redentorista da Bahia

Facebook
WhatsApp

Nesta quinta-feira (21), os missionários que fazem parte da Vice-Província Redentorista da Bahia se reuniram no Centro de Treinamento de Líderes (CTL), em Bom Jesus da Lapa, para a última assembleia antes da junção com as províncias de São Paulo e Rio de Janeiro (Minas Gerais e Espírito Santo), que formarão a Província Nossa Senhora Aparecida.

O momento foi marcado pela recordação da história, apresentação de relatórios e reencontros. Ao todo, mais de trinta religiosos estiveram presentes, incluindo um representante de Varsóvia (Polônia), província a qual a Bahia esteve ligada desde o início da missão. 

A assembleia foi finalizada com a Santa Missa, às 19h, no Santuário do Bom Jesus da Lapa, onde aconteceu a leitura e assinatura da ata de supressão da Vice-Província, ação necessária para que a nova província possa ser criada.

Entre os presentes, o Padre Tadeu Mazurkiewicz é o único dos cinco primeiros poloneses a atuarem na Bahia, que está vivo. Ele falou aos confrades sobre a sua experiência, dificuldades vividas e a alegria de ver os avanços atuais.

No dia nove de novembro de 2023, a nova província terá sua ereção canônica, unificando oficialmente as missões nos quatro estados brasileiros.

Conheça a história dos Missionários Redentoristas na Bahia

Por Padre Roque Silva CSsR

A presença dos Missionários Redentoristas na Bahia remonta ao ano de 1932, quando a pedido do arcebispo Dom Álvaro Augusto da Silva, dois missionários holandeses da Província do Rio de Janeiro, pregaram as Santas Missões em Salvador. No ano seguinte, 1933, foi instalada a primeira Comunidade Redentorista na Bahia e os missionários começaram as atividades apostólicas na Igreja/Brasília do Senhor do Bonfim, onde permaneceram até 31 de dezembro de 1948. Em 08 de dezembro de 1972, o mesmo Superior Geral instituiu a Missão Redentorista da Bahia com sede em Bom Jesus da Lapa. Assim, os Redentoristas poloneses: Ceslau Stanula, Lukas Kocik, Franciszek Deluga, Josef Danieluk e Tadeusz Mazurkiewicz, substituindo os Redentoristas da Vice Província de Recife (Nordestina), assumiram a pastoral do Santuário de Bom Jesus da Lapa e a Paróquia com as comunidades rurais, na região semiárida do oeste baiano.

A partir do ano de 1976, assumiram, em Salvador, o atendimento da Paróquia da Ressurreição do Senhor, bairro de Ondina, e as comunidades anexas à mesma, entre os quais se destaca a Igreja de São Lázaro, no Alto da Federação. A Igreja de São Lázaro funciona como um Santuário, recebendo devotos de toda grande Salvador, principalmente o povo ligado às religiões de matrizes africanas, bem característica na capital baiana. Ao longo do tempo, outras frentes de trabalho, em locais pobres, da capital, foram assumidas: Tororó, Malvinas e Pituaçu. Por um período breve, os Redentoristas atenderam, também, a Basílica de Senhor do Bonfim (na capital), a cidade de Una-BA, na diocese de Itabuna e, por 19 anos, atenderam a Paróquia de Senhor, em Bonfim-BA, e na Paroquia Nossa Senhora da Piedade, em Itabuna-BA (2010-2019).

As Missões Populares e os Santuários são as prioridades principais da Vice Província da Bahia. A pregação das missões populares ao povo pobre e humilde é dever principal do redentorista. Na Vice Província, sempre houve uma equipe destinada a pregar as Santas Missões na Bahia e em outros estados vizinhos. O Centro Missionário foi instituído como responsável pela formação dos Missionários leigos e de agentes de pastoral, colaborando na formação das paróquias e participando das Santas Missões. Porém, cada confrade é convidado a participar, pelo menos, uma vez por ano, da pregação das Santas Missões.

Como Santuários, atendem o de Nossa Senhora d’Ajuda, em Porto Seguro-BA, o de São Lázaro, em Salvador-BA e o de Bom Jesus da Lapa-BA, que se destaca pela sua originalidade ímpar, situado às margens do rio São Francisco, com amplas grutas naturais, que abrigam as Imagens Milagrosas do Bom Jesus e de Nossa Senhora da Soledade, onde acolhe milhares de romeiros todos os anos. Desde o ano de 1978, os redentoristas da Bahia iniciaram o trabalho na Pastoral Vocacional e na Formação de novos missionários. E, graças a tantas pessoas, esforços, parcerias interprovinciais e investimentos aplicados, poloneses e brasileiros são expressões da “copiosa redenção” na Terra de Santa Cruz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − quinze =

plugins premium WordPress