[views count="1" print="0"]

Cardeal Dom Geraldo Majjela, bispo emérito de Salvador, morre aos 89 anos

Facebook
WhatsApp
Dom Geraldo Majjela, Cardeal brasileiro

Uma história de dedicação à Igreja, presença em acontecimentos históricos e uma vida de amor pelo Brasil. Dom Geraldo Majella partiu aos 89 anos, neste sábado (26), em Londrina (PR), onde vivia desde 2014.

Segundo nota divulgada pela CNBB, o Cardeal estava com a saúde fragilizada desde o fim do ano passado, quando foi vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), sendo necessário ficar em internamento domiciliar.

A Arquidiocese de Londrina informou que o sepultamento será realizado na Cripta da Catedral Metropolitana, por um pedido do próprio cardeal, registrado em cartório no ano de 2020.

Quem foi Dom Geraldo Majella Agnelo

Nascido em 19 de outubro de 1933, o mineiro de Juiz de Fora faria 66 anos de ordenação sacerdotal em 2023. Atuou como professor em seminários e universidades, a exemplo da Universidade de São Paulo. Ele também estudou teologia em Roma, recebendo o título de Doutor. De volta ao Brasil, foi empossado bispo de Toledo, no Paraná, onde ficou por quatro anos, até assumir a diocese de Londrina, no mesmo Estado, em 1983.

Um dos grandes marcos da vida de Dom Majella foi a fundação da Pastoral da Criança, em Florestópolis (PR),  juntamente com a médica pediatra, ZIlda Arns, ainda em 1983.

Após oito anos em Londrina, ele foi chamado para trabalhar com o então Papa, São João Paulo II, retornando à Roma.

Em 1999, assumiu a Arquidiocese Metropolitana de São Salvador, na Bahia. Dom Geraldo Majjela também foi nomeado cardeal por São João Paulo II. Paralelo ao pastoreio do povo soteropolitano e à função de cardeal – na qual participou dos conclaves de Papa Bento XVI e Papa Francisco – ele presidiu a CNBB entre 2003 e 2007. 

Já no ano de 2011, renunciou ao arcebispado, aos 78 anos de idade, e em 2014 passou a viver em Londrina. Na época, ele chegou a afirmar que voltaria para a cidade para ficar mais perto da família, que mora no sudeste do país. 

Santa Dulce dos Pobres e Dom Geraldo

O Arcebispo emérito de Salvador muito contribuiu para a canonização da primeira santa baiana, Santa Dulce dos Pobres. Ao longo dos anos de trabalho na Capital, ele trabalhou pelo reconhecimento do milagre que levou à beatificação do Anjo Bom da Bahia. 

Dom Geraldo leu a carta apostólica da beatificação, em 2010, além de ser responsável pela escrita da oração à Santa.

Nota de Pesar da CNBB  pelo falecimento do Cardeal Geraldo Majella Agnelo

Estimado irmão, Cardeal Sergio da Rocha,

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) une-se em solidariedade à Arquidiocese de São Salvador (BA) e aos familiares por ocasião do falecimento de Dom Geraldo Majella Agnelo, arcebispo emérito daquela estimada Igreja Particular, neste sábado, 26 de agosto, memória de Santa Maria no sábado, em Londrina (PR), onde residia desde 2014.

Damos graças a Deus pela doação deste irmão no episcopado que entregou sua vida à Igreja no Brasil e no mundo. Dom Geraldo foi destacado, nos lugares onde serviu como padre e bispo, por sua afabilidade e pela virtude de criar laços de amizade e comunhão entre as pessoas.

Sua vida foi marcada por um grande amor à Igreja e uma contínua dedicação às coisas da Igreja, a serviço da fé e ao testemunho da vida cristã. Dom Geraldo mostrou sempre grande zelo pela Liturgia, pela boa formação dos sacerdotes e do povo católico e pela irrestrita fidelidade ao Papa e à Igreja. Foi um intérprete da reta reforma litúrgica, desejada pelo Concílio Vaticano II.

Agradecemos, especialmente, os anos nos quais se dedicou à nossa Conferência, tendo presidido a Comissão Episcopal para a Liturgia, de 1983-1987, atuado como vice-presidente do Regional Sul 2 da CNBB, e estado à frente da CNBB, como seu presidente, de 2003 a 2007.

Como no Evangelho da liturgia que celebramos hoje, Dom Geraldo foi aquele que soube amar a um só Pai, aquele que está nos céus. Teve um só guia, Cristo. E foi grande porque entre nós foi um humilde servidor do Evangelho.

Rogamos a Deus que conforte os corações de amigos, fiéis e familiares e dê ao nosso irmão a glória do descanso eterno e de ser exaltado nos céus.

Dai-lhe, Senhor, o repouso eterno e brilhe para ele a Vossa luz.

Em Cristo, 

Dom Jaime Spengler 
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Presidente da CNBB 

Dom João Justino de Medeiros Silva 
Arcebispo de Goiânia (GO)
Primeiro Vice-presidente da CNBB 

Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa 
Arcebispo de Olinda e Recife (PE)
Segundo Vice-presidente da CNBB 

Dom Ricardo Hoepers 
Bispo auxiliar de Brasília (DF)
Secretário-geral da CNBB 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 4 =

plugins premium WordPress