[views count="1" print="0"]

47ª Romaria da Terra e das Águas no Santuário da Lapa começou nesta sexta (5)

“A partir de hoje, até domingo, nos encontramos aqui em um grande retiro, somos provocados e instruídos pelo tema desta 47ª romaria.

Facebook
WhatsApp
Romaria da Terra no Santuário do Bom Jesus da Lapa

 

Começou na noite desta sexta-feira (5), a 47ª edição da Romaria da Terra e das Águas no Santuário do Bom Jesus da Lapa. Com o tema “ De mãos dadas por justiça socioambiental para salvar a casa comum” e o lema “ Farei uma aliança com meu povo (Jr 31,31)”, a romaria é organizada por membros das dioceses de Bom Jesus da Lapa, Barra, Barreiras, Caetité, Livramento de Nossa Senhora, Irecê, Arquidiocese de Vitória da Conquista e diocese de Bom Jesus da Lapa.

A programação começou com a concentração das diversas caravanas das dioceses organizadoras e de outras cidades da Bahia, na Esplanada do Santuário do Bom Jesus da Lapa, no início da noite. Entre elas, estavam indígenas de aldeias diversas da Bahia e Minas Gerais, que marcarão presença ao longo da romaria, na luta pelos direitos dos povos indígenas.

  Em seguida aconteceu a Santa Missa, às 19h, presidida pelo reitor do Santuário do Bom Jesus da Lapa, padre Roque Silva e com a presença de padres da Diocese de Bom Jesus da Lapa e das dioceses participantes.

Romaria da Terra e das Águas lembra vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul

Logo no início da Santa Missa, a bandeira do Rio Grande do Sul foi entronizada no presbitério, enquanto era lida a tradicional carta de recordação da vida. O texto lido pela religiosa Ir. Maria Rodrigues, lembrou a importância do cuidado com a casa comum para que toda vida seja preservada. “Queremos, nesta celebração, fazer memória das vítimas da catástrofe socioambiental no Rio Grande do Sul, tanto aqueles que perderam suas vidas, como também os sobreviventes que perderam suas casas, seus modos de vida…”, afirmou em um dos trechos.

Romaria da Terra e das Aguas Santuario do Bom Jesus da Lapa

Reitor do Santuário fala sobre  a construção da civilização do amor

Durante a homilia, o reitor do Santuário do Bom Jesus da Lapa falou sobre a importância da romaria e do tema, citando palavras do Papa São João Paulo II e o Papa Francisco, que, em visita ao Brasil, defenderam a construção da civilização do amor. “A partir de hoje, até domingo, nos encontramos aqui em um grande retiro, somos provocados e instruídos pelo tema desta 47ª Romaria da Terra e das Águas,” disse. 

A programação segue neste sábado (6), com a reza do Ofício logo cedo na Esplanada do Santuário, às 5h30, seguido pela Santa Missa, às 6h45. Após a missa, terão início os plenarinhos, realizados em espaços externos ao Santuário. Estes são espaços para discussão de temas importantes, como a defesa do meio ambiente, a luta pela água e a preservação do Rio São Francisco, assim como o direito à terra e à vida.

A programação completa do sábado e domingo, pode ser conferida neste link.

 Romaria da Terra e das Águas em Bom Jesus da Lapa é uma das mais antigas do Brasil

Segundo os registros históricos, a primeira Romaria da Terra e das Águas aconteceu um ano antes de ser reconhecida oficialmente como “Missa da Terra”, como era chamada de 1978 a 1988. Ela teve origem na região da Chapada Diamantina, na Bahia, quando romeiros de Andaraí e Colônia vieram até o Santuário, em julho de 1977, para juntos reivindicar pelo direito à terra. “Terra para aqueles que nela trabalham” foi o tema escolhido.

Já no ano seguinte, foi iniciada oficialmente, na mesma época em que se iniciaram as romarias em outras regiões, a exemplo do Rio Grande do Sul.

De 1988 a 1999, a peregrinação era apenas “Romaria da Terra”. De 2000 até a atualidade, é chamada de Romaria da Terra e das Águas. Ela possui uma característica diferente de outras romarias do Santuário do Bom Jesus da Lapa e de outros santuários do país, por trazer além das celebrações religiosas, os espaços de debate sobre temas importantes e a busca coletiva por soluções que vão de encontro às injustiças sociais, o desperdício e escassez da água, bem como a luta pelo direito à terra, moradia e trabalho.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =

plugins premium WordPress