Francisco da Soledade, o fundador do Santuário

O Arcebispo chamou o Monge da Gruta a Salvador e, após uma preparação, ordenou-o sacerdote em 1706. Nomeou-o Capelão do Santuário do Senhor Bom Jesus da Lapa e de Nossa Senhora da Soledade. Em homenagem à Santa, o Monge passou a chamar-se Padre Francisco da Soledade.

Santuário do Bom Jesus da Lapa - o-santuario-do-bom-jesus-da-lapa-francisco-mendonca-mar
Estátua representa a chegada do monge na entrada do Santuário do Bom Jesus da Lapa

Um ourives e pintor, que se tornou religioso. Francisco de Mendonça Mar nasceu em Lisboa (Portugal) e chegou ao Brasil em 1679, com poucos mais de 20 anos, instalando-se na capital da Bahia, Salvador.

Em Salvador, ele exercia a profissão de pintor. No entanto, foi açoitado e preso injustamente, ao reclamar da falta de pagamento de um trabalho realizado no palácio do Governador Geral do Brasil. Justamente este acontecimento que fez Francisco se fechar para o mundo e ir em busca de um lugar onde pudesse viver em paz. Consigo carregava uma imagem do Bom Jesus e outra de Nossa Senhora da Soledade. Ao que tudo indica, queria viver como eremita, isolado do mundo.

Após longa caminhada, Francisco chegou ao destino que considerou ser o ideal para encerrar a peregrinação, em 1691. Uma caverna de pedra, com várias grutas pequenas e sem habitantes ao redor. Foi nela que decidiu encerrar sua peregrinação e viver para Deus.

No local, ele viveu uma história de zelo com os viajantes que encontravam nele um descanso e renovação da fé, assim como todos que chegavam a Gruta Sagrada. Francisco cuidava dos enfermos, transmitia a fé e, sem pretensão alguma, tornou-se o primeiro dos milhares de peregrinos do Bom Jesus da Lapa e de Nossa Senhora da Soledade.

Em 1706, tornou-se padre e capelão do Santuário. Com um legado marcado pela caridade e acolhimento aos mais pobres, o Padre Francisco da Soledade faleceu por volta de 1722.

A cidade de Bom Jesus da Lapa se formou ao redor da Gruta, mas só foi emancipada em 31 de Agosto de 1923.